A gente cresce ouvindo coisas do tipo: “Agora não é hora de brincadeira!”, “Vamos trabalhar sério!”, “Hora de brincar é hora de brincar, agora vamos falar sério!”. Tudo isso que vamos ouvindo durante nossa infância, adolescência e vida adulta, vai moldando nossa maneira de pensar, nossa maneira de agir e nossos relacionarmos. Aí eu aproveito para te perguntar: já percebeu que o mundo tá chato?!

As redes socias estão cada vez mais intolerantes, raivosas, e isso se reflete nas empresas e instituições em que trabalhamos e nós frequentamos. E dessa maneira vamos nos tornando cada vez mais sérios, monótonos, uns verdadeiros chatos. O uso de humor e estímulos divertidos no ambiente de trabalho já é super comum nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. Grandes líderes defendem a ideia de que o riso estimula e promove o potencial criativo dos colaboradores, impactando de maneira significativa a produtividade da empresa.

Para você ilustrar como os americanos realmente acreditam no poder do humor, a Universidade de Stanford possui na sua escola de negócios, uma disciplina dedicada a ensinar humor a seus alunos, futuros líderes, a disciplina se chama “Humor é coisa séria”. Eles possuem estudos que mostram que quanto maior o grau hierárquico que o líder ocupa em uma empresa, ao usar humor ele gera um alto grau de influência nos colaboradores e gerando maior autoridade.

Você pode estar falando nesse momento: “Ah, tá bom, isso porque você não conhece a empresa que eu trabalho, você não conhece meu chefe! Eles jamais vão implantar isso lá”, mas quem disse que precisamos esperar que o humor seja implantado pela empresa, porque não o próprio colaborador levar humor para seu ambiente de trabalho?

Mas calma!! Não estou falando pra você sair contando um monte daquelas piadinhas sem graça de papagaio e dos tomatinhos. Aliás, por favor: NUNCA faça isso! Aposente para ontem o seu repertório do Costinha!

Fato: ninguém precisa ser comediante para usar humor, mas podemos aprender a usar humor de maneira mais eficiente sem sombra de dúvidas. Tive um aluno do meu curso,+ Humor na sua história, que me disse que era super sério no trabalho e que ficava tão tenso com suas atribuições que mal conversava com os colegas e isso o incomodava muito, ele se sentia meio excluído. Mas depois que ele começou a sorrir mais e colocar humor nas histórias que contava, deixando mais divertidas, que as pessoas com quem trabalhava, passaram a se relacionar com ele de outra forma. Todos começaram a apreciar mais a companhia dele e que ele nunca mais almoçou sozinho! Sério, isso pra mim não tem preço e me confirma ainda mais o poder de conexão do Humor.

Mas, como fazer isso na prática? Como já disse existem técnicas que você pode aprender, exercitar e colocar em prática.

Enquanto você ainda não tem domínio, vou te passar umas dicas. Bem, para começar sorria mais durante sua rotina de trabalho. Sorrir é de graça, contagia e ainda queima calorias! Aproveite também os momentos de pausa para conversar com os seus colegas, conte algumas histórias divertidas, faça comentários mais leves sobre os assuntos que tiverem em pauta na conversa e ria das histórias dos outros. Então lembre-se rir e fazer rir é a receita de sucessos das grandes empresas mundiais. Que tal começar a colocar isso em prática?


Fábio Criador do método +Humor na Sua Comunicação
Fábio Criador do método +Humor na Sua Comunicação

Formado em Odontologia pela Universidade Federal Fluminense, fechou consultório particular quando descobriu que sua verdadeira paixão era trabalhar com gente e não com dente. É o criador do Stand up Coaching, que é uma abordagem descontraída da metodologia do coaching. Palestrante focado na área de comunicação e comportamentos, se utiliza de um humor rápido e inteligente para entrega de conteúdo de forma divertida. É também o idealizador do programa +Humor na sua comunicação, onde ensina técnicas de inserção de humor no processo de comunicação one to many, buscando uma forte conexão com o público.